Marcello Diaz

Pré-candidato a prefeito de São José de Ribamar, Dr. Julinho permanece na condição de “ficha suja”, sem as mínimas condições de elegibilidade em razão de uma gestão desastrosa à frente da Maternidade Benedito Leite. Aliás, nem como médico o prefeito Julinho conseguiu construir a maternidade do município, uma obra que mudou a vida de tantas mulheres ribamarenses, realizada pelo ex-prefeito Luis Fernando.

Julinho conta com o apoio do ex-prefeito Gil Cutrim, que se notabilizou no cargo pela administração com altíssima rejeição por parte da população da cidade, além de ações de improbidade administrativa, suspeitas de enriquecimento ilícito e até pedido de quebra de sigilo bancário do ex-prefeito e da esposa pelo Ministério Público estadual. Gil, filho do conselheiro Edmar Cutrim, do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA), não tem o menor pudor de tentar livrar o pré-candidato de sua preferência de condenação imposta pelo próprio tribunal onde o pai possui assento.

Analistas da política local já avaliam que a união política dos dois ex-prefeitos é como a expressão genuinamente maranhense, “o penico e a tampa”. Ambos são identificados pelo eleitorado ribamarense por passagens mal sucedidas no cargo, pela ausência significativa de obras e ações e, portanto, um levaria o outro a afundar o próprio barco eleitoral.

Se há alguns anos, administrar o terceiro município mais populoso do Maranhão já era um enorme desafio, agora com o avanço da Região Metropolitana de São Luís, com o crescimento das unidades habitacionais além dos limites da capital, problemas como mobilidade urbana, economia, saúde, saneamento, educação e outros exigem ainda mais dos gestores públicos.

Post a Comment

Deixe aqui seu comentario: