Postagem em destaque

Abordagem diferenciada feita por Yglésio sobre transporte público na capital repercute na imprensa

Abordagem diferenciada feita por Yglésio sobre transporte público na capital repercute na imprensa
Yglésio teve discurso destacado na imprensa por fazer uma abordagem diferenciada e criteriosa sobre transporte público
O discurso do deputado estadual, Dr. Yglésio (PROS), sobre o reajuste nas tarifas do transporte coletivo em São Luís repercutiu positivamente na imprensa. O jornalista Ribamar Correa e o site Atual 7 foram alguns dos que se manifestaram, classificando como diferenciada e criteriosa a abordagem do parlamentar, feita na tribuna da Assembleia Legislativa, na segunda-feira (17). Yglésio não se ateve apenas às questões tarifárias, mas falou com bastante propriedade sobre mobilidade urbana de maneira ampla.
“Quase todos os que se manifestaram o fizeram com discurso convencional, já manjado, jogando o ‘absurdo’ na conta do prefeito Edivaldo Holanda Júnior”, disse o jornalista Ribamar Correa, na coluna Repórter Tempo.
O diferencial do pronunciamento do deputado Yglésio aconteceu, segundo o jornalista, pelo fato de o parlamentar não aproveitar o momento tecendo o mesmo discurso convencional.
“Por quase meia hora, o deputado Yglésio Moisés ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa, onde fez uma análise criteriosa e surpreendente dos problemas da mobilidade urbana na capital, destacando aspectos importantes, mas pouco observados acerca do sistema de transporte coletivo de São Luís”, escreveu o jornalista.
Já o site Atual 7 escreveu que o deputado fez uma “análise criteriosa a respeito dos problemas da mobilidade urbana da cidade e que rebateu adversários no pleito por agirem com demagogia tarifária ao prometerem, nas redes sociais, o congelamento de valores". 
Ainda em seu pronunciamento, Yglésio pontuou que as multinacionais de transporte por aplicativo já pagam o Imposto sobre Serviço (ISS), só que não é recolhido para a capital maranhense. Mesmo com a regulamentação da Câmara Municipal de São Luís, os aplicativos continuam recolhendo impostos para outras cidades, a exemplo de São Paulo. "O que fosse recolhido desse tributo dos transporte por aplicativo deveria ser investido na mobilidade urbana, em especial no transporte público de massa", acentuou o parlamentar.

Nenhum comentário

Deixe aqui seu comentario: