Marcello Diaz

Lutando na Justiça para ser novamente prefeito de São José de Ribamar, Julinho “noivou” com o também ex-prefeito Gil Cutrim. A população de Ribamar ainda sabe muito pouco desse noivado e as razões desta aliança ainda são pouco conhecidos da população do município. Afinal de contas, pesquisas eleitorais realizadas no município revelam que são mais de 60% de indecisos, percentual que deve se definir nos próximos meses.

Julinho toda hora divulga uma pesquisa e a Justiça proíbe a divulgação por irregularidades. O que se sabe é que os ex-prefeitos foram os piores que já passaram em São José de Ribamar. Foram desmandos, obras destruídas e muita revolta da população, o que rendeu a Gil Cutrim 95 por cento de reprovação popular. Aliás, existem bairros em Ribamar que o nome Cutrim é quase um palavrão.

Para os eleitores mais experientes o motivo desta aliança é que há uma troca de interesse nesta aliança que os noivos ainda tentam esconder. Julinho, que não tem a menor simpatia por Gil Cutrim, vê a família de Cutrim como sua “tábua de salvação” para concorrer a sua reeleição. A família Cutrim sabe que, mesmo que Julinho consiga limpar seu nome e ser eleito, ele terá que passar 4 anos pendurados em liminares até uma cassação definitiva, diante de tantas denúncias feitas durante seu único mandato como prefeito de Ribamar, entre as sete vezes em que foi derrotado. A desastrosa gestão à frente da Maternidade Benedito Leite deixou Julinho com sérios problemas com a Justiça.

Não é à toa que Gil quer, porque quer, impor como vice-prefeito o nome do vereador Nonato Lima, seu único aliado que está na Câmara Municipal.

Esta seria a chance de Nonato se tornar prefeito, devendo a “conquista” para família Cutrim. Hoje, a briga está feia entre Gil Cutrim e Josimar de Maranhãozinho, que também quer indicar um vice-prefeito, um tal Júnior Lago. Josimar também sabe da provável chance de ter um prefeito ao indicar o vice.

Post a Comment

Deixe aqui seu comentario: