Marcello Diaz
Encalhado há mais de 3 meses na costa maranhense, o navio Stellar Banner, de nacionalidade sul-coreana, será afundado pela Marinha do Brasil na próxima sexta-feira (12). O navio foi rebocado anteriormente para uma área de águas profundas.
O Stellar Banner, encalhado a 100 quilômetros da costa do Maranhão com cerca de 275 mil toneladas de minério de ferro e 3,8 mil toneladas de óleo
O Stellar Banner, encalhado há mais de três meses na costa maranhense - Divulgação: Marinha do Brasil
A decisão ocorreu após uma avaliação criteriosa das condições do navio. De acordo com nota divulgada pelo Comando do 4º Distrito Naval, o afundamento possui o aval da dona da embarcação, a armadora sul-coreana Polaris Shipping.
A nota de divulgação do afundamento informa ainda que todos os cuidados - humanos, ambientais e com a legislação em vigor - estão sendo tomados. 
O afundamento programado será fiscalizado por empresas internacionais, por autoridades ambientais do estado do Maranhão, pela secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais e pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis.
A operação de retirada de componentes danosos ao meio ambiente continua. Tanto a carga levada pela embarcação quanto o combustível e óleo que eram transportados já foram retirados dos tanques do Stellar Banner.

Fissura no casco do Stellar Banner

O Stellar Banner transportava 275 mil toneladas de minério de ferro da Vale, e milhares de litros de combustível e óleo. Segundo relatos dos tripulantes, o casco da embarcação apresentou uma fissura, e isso comprometeu a navegabilidade da embarcação. O navio ficou ancorado em um banco de areia na costa maranhense até que a avaliação de danos e das condições da embarcação fosse concluída.
O risco de um acidente ambiental de grandes proporções motivou a Marinha a montar um gabinete de crise envolvendo representantes da Capitania dos Portos no Maranhão; do Comando do 4º Distrito Naval, em Belém; do Comando de Operações Navais, do Rio de Janeiro; órgãos ambientais e das empresas responsáveis pela embarcação e pela carga.

Post a Comment

Deixe aqui seu comentario: