Marcello Diaz

Evento teve como objetivo fazer um laboratório com criatividade para levar os alunos a pensarem em formas de mostrar para a sociedade o que estão produzindo em sala de aula
Equipamento da Prefeitura de São Luís, Galeria Trapiche sedia evento prático de estudantes de Artes Visuais da UFMAA Galeria Trapiche sediou, nesta quinta-feira (4), durante todo o dia, o evento Sala Galpão, que realizou oficinas e intervenções da disciplina de Processos Criativos da Educação, do curso de Artes Visuais da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). A Galeria é um equipamento da Prefeitura de São Luís, coordenado pela Secretaria Municipal de Cultura (Secult) e localizado na Praia Grande, em frente ao Terminal de Integração.

O evento foi uma iniciativa do professor Alexandre de Albuquerque Mourão, que buscou simular a metodologia do Laboratório Urbano Efêmero (LAB SLZ) de fazer um laboratório com criatividade para levar os alunos a pensarem em formas de mostrar para a sociedade o que estão produzindo em sala de aula. O LAB SLZ aconteceu em setembro de 2018 e definiu as diretrizes para uso do Complexo Santo Ângelo.
"A proposta é que os estudantes pensem em trabalhos que saiam do papel e criem algo ligado à educação, o que dialoga com as funções de ensino e extensão da universidade. Além disso, em tempos de crise financeira nas universidades, é importante levar o público a conhecer o que os alunos estão produzindo", pontua o professor.

A programação contou com oficinas de smartfotografia (pelo celular) e de gastroarte (gastronomia com arte), montagem de uma pequena horta ao lado da Galeria, mapeamento dos locais interessantes para visitação, intervenções de lambe-lambe e trabalho externo de escultura. À tarde, houve uma mesa de discussão sobre a possibilidade de retomada do Salão de Artes Visuais com representantes da Galeria, universidade e classe artística.
Estudante do 5º período do curso de Artes Visuais da UFMA, Josiel de Castro Vieira idealizou a intervenção 'A ponta do Iceberg', que traz uma garça feita de plástico em cima de vários pedaços de pneu. "Com a intervenção, quero chamar a atenção para o problema ambiental da contaminação de animais por micropartículas de plástico. Organizei os pneus como a ponta de um iceberg para simbolizar que essa contaminação é apenas o começo de um problema muito maior", explica.
O evento é uma oportunidade de o aluno ter contato direto com a prática, conta o estudante do 4º período de Artes Visuais Dalton Costa. "Temos nossos ateliês na universidade, mas a relação com o público é fundamental. A arte contemporânea propõe justamente aproximá-la da comunidade", declara.

Post a Comment

Deixe aqui seu comentario: